Transtorno da Ansiedade

ansiedade

A ANSIEDADE pode se manifestar em três níveis: neuroendócrino, visceral e de consciência. O nível neuroendócrino diz respeito aos efeitos da adrenalina, noradrenalina, glucagon, hormônio antidiurético e cortisol. No plano visceral a ansiedade é devida ao Sistema Nervoso Autônomo (SNA), que reage se excitando o organismo na reação de alarme (sistema nervoso simpático) ou relaxando (sistema vagal) na fase de esgotamento.

Sintomas

Os principais sintomas do transtorno de ansiedade são a inquietação, palpitações, sudorese ou opressão no peito, sintomas gastrointestinais como náuseas, vômitos, diarréia, outros apresentam mal estar respiratório, tensão muscular. Enfim,os sintomas físicos e viscerais variam de pessoa para pessoa.

Em mulheres pode causar disfunção hormonal, num ponto capaz de suspender a menstruação.

TIPOS DE ANSIEDADE

Normal

A ansiedade é uma reação normal, dita bio-adaptativa. Ou seja, é uma resposta do corpo a algum tipo de estressor externo; por exemplo, diante de uma ameaça (um predador), o organismo deve reagir aumentando seu ritmo para que este possa se preparar para a fuga. O ritmo cardíaco aumenta, há contração de vasos periféricos para que se concentre sangue em áreas vitais, a respiração aumenta sua freqüência. Portanto, todas estas reações são normais e preparam o indivíduo para enfrentar o estressor externo. É uma sensação difusa, desagradável de apreensão acompanhadas por várias sensações físicas.

Patológica

A ansiedade se torna patológica em dois momentos: a) quando o corpo reage excessivamente a um estímulo, ou seja, quando a ansiedade é desproporcional ao estímulo e transforma uma reação adaptativa em reação desadaptativa, ou mesmo quando ela aparece relacionada a estímulos que normalmente não gerariam ansiedade; b) quando ocorre ansiedade na ausência de estímulo deflagrador.

Os transtornos de ansiedade mais comuns são:

A ansiedade patológica caracteriza-se pela intensidade prolongada à situação precipitante, tornando difícil o controle dos sintomas físicos causando prejuízo na atividade social, dificultando e impossibilitando a adaptação. Ao contrário da ansiedade normal, a patológica paralisa o indivíduo, trazendo prejuízos ao seu bem estar.

Tratamento

Há muitos tratamentos, alguns apresentam comprovação científica e outros não. Para a ansiedade normal usam-se métodos tais como técnicas de relaxamento, yoga, acupuntura, caminhadas, bio-feedback etc. Já para a ansiedade patológica pode ser necessário o uso de medicação.

No geral, o tratamento pode dividir-se em três partes

Medicação: geralmente antidepressivos e benzodiazepíncos (calmantes) são as medicações mais comumente empregadas, quando o psiquiatra ou o clínico julga necessário usá-las;

Psicoterapia: fundamental para saber a origem da ansiedade e como lidar com ela; a associação medicação + psicoterapia tem ótimos resultados;

Mudança de hábitos de vida: exercícios físicos, acupuntura, yoga, otimização dos horários de trabalho, higiene do sono, criação de “áreas de lazer” na grade horária semanal. Tais mudanças também são fundamentais ficar menos ansioso.

Comentários

Deixe seu comentário