Depressão

depressao2

O QUE É

A depressão é um problema médico caracterizado por diversos sinais e sintomas, dentre os quais humor persistentemente rebaixado, apresentando-se como tristeza, angústia ou sensação de vazio e redução na capacidade de sentir satisfação ou vivenciar prazer.

O estado depressivo diferencia-se do comportamento “triste” ou melancólico que afeta a maioria das pessoas por se tratar de uma condição duradoura de origem neurológica acompanhada de vários sintomas específicos. Ou seja, depressão não é tristeza.

É uma doença que tem tratamento.
Estima-se que cerca de 15 a 20% da população mundial, em algum momento da vida, sofreu de depressão. A depressão é mais comum em pessoas com idade entre 24 e 44 anos. Dependendo do motivo pode ser dada a crianças e adolescentes como separação dos pais, problemas na escola, rejeição e principalmente Bullying. A ocorrência em mulheres é o dobro da ocorrência em homens.

SINTOMAS

Sintomas, geralmente associados ao quadro depressivo:

  • Humor persistentemente rebaixado, apresentando-se como tristeza, angústia ou sensação de vazio.
  • Diminuição do interesse e prazer em atividades que antes eram prazerosas.
  • Ansiedade.
  • Afastamento de amigos ou pessoas.
  • Cansaço e perda de energia.
  • Vontade de chorar ou chorar às escondidas.
  • Maus resultados escolares, devido á incapacidade em se concentrar.
  • Vontade de ficar só. Afasta-se de tudo e todos.
  • Não querer ouvir barulhos ou querer música ou barulhos em altos berros (pois é uma forma de se alhear e afastar do que se passa à sua volta).
  • Sentimento de tristeza persistente.
  • Problemas de auto-confiança e auto-estima.
  • Sentimento de tristeza e abatimento sem conseguir encontrar algo que anime ou que consiga despertar interesse.
  • Dificuldade de concentração e de tomar decisões.
  • Sentimentos de culpa, desesperança, desamparo, solidão, ou inutilidade.
  • Alterações no sono; Dificuldades em adormecer, acordar muito mais cedo do que o habitual, dormir em excesso ou pesadelos.
  • Medo de executar determinada tarefa; ou medo do que possa acontecer se falhar. Vive obcecada com a sua incapacidade ou com o que possa acontecer a outrem se ela falhar.
  • Isolamento: evitar outras pessoas.
  • Perda de apetite com diminuição do peso ou compulsão alimentar.
  • Pensamentos de suicídio e morte.
  • Inquietação e irritabilidade.
  • Auto-agressão.
  • Mudanças na percepção do tempo.
  • Acessos de choro.
  • Possíveis mudanças comportamentais como agressão ou irritabilidade.
  • Medo ou sensação de ser ou estar sendo abandonado.
  • Desleixa-se com o vestir ou com a sua apresentação. Isso deixou de lhe interessar.

Algumas pessoas apresentam apenas alguns dos sintomas, outros apresentam inúmeros sintomas, com intensidade variada.
Pessoas deprimidas têm frequentemente pensamentos mórbidos e a taxa de suicídio entre depressivos é 30 vezes maior do que a média da população em geral. A depressão é considerada em várias partes do mundo como uma das doenças com mais alta taxa de mortalidade.

TRATAMENTO

Os antidepressivos mais usados no tratamento da depressão são os Inibidores seletivos da recaptação da serotonina como a Fluoxetina (nome comercial Prozac, Daforin…) e a Sertralina (nome comercial Zoloft).

Outros antidepressivos usados são os Inibidor da MAO, Inibidor da recaptação de dopamina, Inibidor da recaptação de noradrenalina-dopamina, Antidepressivo tricíclico, Inibidor da recaptação de serotonina-noradrenalina e Antidepressivo tetracíclico.

A principal atuação dos antidepressivos é no aumento de monoaminas como serotonina, dopamina, noradrenalina e adrenalina.

Apesar do nome, os antidepressivos também são usados com sucesso em tratamento de diversos outros transtornos como transtornos de ansiedade e fobias. Quanto mais específicos em sua ação restrita nas monoaminas menos efeitos colaterais eles apresentam.

Comentários

Deixe seu comentário